InícioAraripina em FocoDeolane Bezerra é investigada por envolvimento com facção e lavagem de dinheiro;...

Deolane Bezerra é investigada por envolvimento com facção e lavagem de dinheiro; entenda

A influenciadora e advogada Deolane Bezerra está sendo alvo de mais uma investigação. Dessa vez, a Polícia Civil de São Paulo instaurou dois inquéritos para investigar suposto envolvimento dela com o crime organizado.

A advogada é acusada de sonegação fiscal por movimentar quase o triplo do que é permitido pelo Simples Nacional e também de lavagem de dinheiro na compra de carros.

Segundo o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), a empresa de Deolane,Bezerra Publicidade, movimentou R$ 13 milhões entre maio de 2021 e maio de 2022. Valor muito acima do limite de R$ 4,8 milhões.

Envolvimento com facção criminosa

Deolane comprou carros de duas pessoas ligadas as empresas de ônibus Upbus e Qualibus. Segundo a polícia, as duas são controladas por integrantes da facção Primeiro Comando da Capital, o PCC.

Apesar de argumentar que o seu patrimônio tem sido formado por meio de contratos de publicidade, Deolane vai responder, também, por crimes contra as relações de consumo e associação criminosa.

Tais propagandas, geralmente de sites de apostas, são divulgadas nas redes sociais da influencer com promessas de serem muito rentáveis.

As irmãs de Deolane, Daiane e Daniele, também estão sendo investigadas. Elas são sócias da Bezerra Publicidade e utilizam das mesmas propagandas.

“As influenciadoras não estão agindo como ‘garotas propagandas’ dos itens, em verdade, atuam como ‘sócias de fato’ dos produtores, tendo em vista, receberem ‘porcentagem’ na venda de cada um”, afirma o inquérito.

Sonegação e lavagem de dinheiro

A influenciadora também está sendo investigada pro sonegação fiscal. Deolane declarou à Receita Federal o total de rendimentos no valor de R$ 67.026,32.

A quantia é considerada incompatível com a vida de luxo que a blogueira ostenta nas redes sociais.

Ainda de acordo com a investigação, parte da fortuna que se acreditam serem resultantes de contratos de publicidade, possa ser, na verdade “resultantes de atividade destinada ao branqueamento de dinheiro oriundo do tráfico de drogas”.

Fonte: JC.

Túlio Pontes
Túlio Ponteshttps://www.araripinaemfoco.com
Edição e Redação de Notícias
RELACIONADOS